Violência psicológica contra a mulher: você sabe como identificar?

Segundo a Lei 11.340/2006 (Lei Maria da Penha), os cinco principais tipos de violência contra a mulher são física, moral, violência psicológica, patrimonial e sexual. Desses tipos, a psicológica é a mais comum, podendo abrir portas para outras formas de violência. Por isso, é importante que a mulher fique atenta aos sinais. Neste texto, vamos orientar sobre como identificar os casos de violência psicológica e como se proteger.

Gaslighting

É quando o parceiro manipula a mulher, buscando deixá-la insegura. Ele mente muito, distorce a realidade e nega informações, mesmo aquelas com evidências. Ainda a proíbe de trabalhar, viajar e fala mal dela para os outros. Daí, ela tem autoestima diminuída, crise de ansiedade e medo de errar, além de ver algo errado no relacionamento.

E não adianta apenas a mulher identificar os erros do parceiro, pois ele a tachará de insegura, histérica e agressiva. Assim, caso queira terminar a relação, é melhor procurar apoio de um psicólogo para encontrar a melhor forma de abordar o assunto.

Mansplaining

Você se lembra do episódio do programa Encontro com Fátima Bernardes em que a influenciadora Kéfera Buchmann discutiu com um membro da plateia? Ela o acusou de mansplaining, por ser um homem tentando explicar o feminismo para mulheres.

Mansplaining é isso mesmo: explicar a uma mulher aquilo que ela já sabe. Com isso, o homem busca tratá-la como inferior e diminuir sua confiança e autoridade. A dica é questionar o que ele diz. Por exemplo, em uma discussão onde você se encontre nessa situação, diga “você está me explicando isso mesmo?”

Bropriating

Acontece quando um homem se apropria das ideias e argumentos de uma mulher e os exibe para colegas ou amigos. Se isso acontecer, fuja de questionamentos, mas faça isso de forma educada e envolvente. Assim, poderá transmitir informações de forma tranquila e detalhada e evitará que não lhe deem os créditos.

Manterrupting

Foi outro termo que Kéfera usou naquele mesmo programa. Ela disse que o convidado havia interrompido a explicação dela sobre feminismo.

Chama-se manterrupting, quando o homem interrompe a fala da mulher, buscando fazê-la parecer confusa e errada. A dica é insistir para terminar a fala e não deixá-lo dominar a conversa.

Denuncie e procure ajuda!

Todas essas formas de violência psicológica são crimes. Você pode denunciá-las ligando 180.

Porém, o abusador não mudará suas atitudes tão facilmente. É por isso que é importante entender os sinais e buscar ajuda psicológica para garantir a sua autoestima e saber lidar para que essas situações não lhe afetem.

Conte com a UNIICA!

Fontes de referência: VivaBem, Vittude, Projeto Draft

Violência psicológica contra a mulher: você sabe como identificar?
Rolar para o topo
Skip to content