Home/Notícias / Janeiro Branco

Leia mais emNotícias

Janeiro Branco

17 de janeiro de 2018

Cuidar da Saúde Mental é coisa séria!

Uniica promove campanha para alertar sobre doenças psiquiátricas

 

Falar sobre saúde mental sempre foi muito importante, porém em uma época em que as taxas de suicídio, depressão e ansiedade têm crescido de forma exponencial em todo o mundo, o assunto é cada vez mais pertinente. Nesse contexto, surgiu em 2010, em Minas Gerais, a primeira campanha do Janeiro Branco, mês dedicado à divulgação da saúde mental, que segue com ações em todo o país para alertar sobre o problema. Em Curitiba, a Clínica de Psiquiatria Uniica está promovendo ações como forma de divulgação e conscientização da população.

Janeiro foi o mês escolhido por se tratar de um período de renovação e a cor branca foi eleita por representar a possibilidade de inícios e reinícios, como uma ‘folha em branco’. A psicóloga da Uniica, Yara Braguinia, destaca a importância da Campanha Janeiro Branco, lançada nesta edição com o tema ‘Quem Cuida da Mente, Cuida da Vida’. “Ainda nos dias de hoje, poucas pessoas investem no cuidado com a saúde mental. Como o assunto é tabu para muitos, o Janeiro Branco é a oportunidade para os profissionais da área unirem forças e aumentarem a disseminação dos conhecimentos acerca dos benefícios da psicoterapia, do acompanhamento psiquiátrico e do cuidado integral com a saúde”, destaca a psicóloga.

De acordo com um estudo feito pela Universidade de Scranton, nos Estados Unidos, 45% das pessoas fazem listas de metas para o ano novo, mas somente 8% destas conseguem completar as resoluções previstas. Além disso, as pesquisas afirmam que até o fim de janeiro cerca de um terço das novas metas – que muitas vezes incluem mudanças no estilo de vida e mais cuidados com a saúde – já terá sido descartada. “Culturalmente as pessoas se organizam para ‘começos e recomeços’ nesse início de ano, fazem planos, traçam metas e objetivos a serem alcançados ao longo dos meses seguintes e, portanto, a ideia da campanha ocorrer em janeiro é condizente com esse movimento emocional, e por se tratar de uma novidade para muitas pessoas, favorece a busca por cuidados da saúde mental”, destaca Yara.

Esse foi o fator motivador para a Clínica Uniica dar início a uma campanha online sobre o Janeiro Branco. Um arquivo de imagens rotativas traz a mensagem de que é preciso deixar o preconceito de lado e encarar algumas “frescuras” como um problema de saúde mental. O arquivo foi encaminhado a uma rede de profissionais e pacientes via aplicativo WhatsApp e tem tido grande repercussão.

Contudo, a terapeuta da clínica reforça a importância da Campanha, mas frisa que o cuidado com a saúde mental e emocional deve acontecer o ano todo, afinal a saúde mental está ligada a todas as áreas da vida do ser humano. “Por isso, é importante salientar que as reflexões e a autocobrança (comuns nos últimos meses do ano), precisam ser elaboradas e dissolvidas, pois sabe-se que um grande número de pessoas costuma adoecer emocionalmente com a chegada do final de algum ciclo. Doze meses é tempo para se planejar, realizar, avaliar – e também de se lamentar por aquilo que não foi capaz de concretizar. Sendo assim, o janeiro Branco vem a calhar como uma oportunidade de dar novos significados para aquilo que não aconteceu e criar novos planos e possibilidades para fazer acontecer”, completa.

 

Prevenção é fundamental

Ainda de acordo com a psicóloga, algumas mudanças de hábito são fundamentais para manter a saúde mental. “Procurar estabelecer relacionamentos saudáveis e ter cuidado com o estresse, excesso de carga de trabalho, relacionamentos tóxicos, são alguns dos aspectos de atenção. Ter uma rotina saudável e regrada, se alimentar bem, fazer atividade física e ter um sono de qualidade, também fazem toda a diferença”, completa. Isso tudo porque a saúde emocional é resultado de um conjunto de hábitos que as pessoas mantêm no cotidiano, que inclui também a forma de lidar com os problemas. Em resumo, a psicóloga explica que ter um dia a dia leve é essencial para que a saúde emocional não fique sobrecarregada.

Outro fator importante para se manter saudável emocionalmente é o autoconhecimento. “A autopercepção é muito importante, olhar mais para si do que ao redor, observar seu temperamento, seu funcionamento, sua saúde emocional, contribuirá para identificar quaisquer alterações. Além disso, é fundamental estar sempre informado, conhecer mais sobre saúde mental, afinal as doenças emocionais já são consideradas as doenças do século. Mais do que nunca, é preciso dar uma atenção maior ao assunto e buscar entender o que acontece com a nossa mente”, destaca Yara.

A psicóloga também ressalta que a procura por um profissional especializado não deve acontecer somente quando se está doente. “Assim como as outras áreas da nossa saúde, a saúde mental exige cuidados preventivos. Por isso, não se deve procurar o psicólogo só quando se está doente. O indivíduo pode estar em busca de desenvolver mais o seu potencial emocional. Se conhecer melhor, se desafiar, superar questões, como, por exemplo, dificuldades sociais. Deve-se pensar que, se há o que melhorar, então deve buscar ajuda”, conclui.

Compartilhe