Home/Artigos / Síndrome de Tourette

Síndrome de Tourette

17 de maio de 2016

28 abril, 2016 às 15:27  |  por equipe do Blog Maluco Beleza

Existem relatos desta doença desde o século XV. Era vista como possessão demoníaca pela inquisição. Porém, ela ficou bem caracterizada e descrita a partir de 1885 quando foi chamada de doença de Gilles de la Tourette nome do médico que descreveu pela primeira vez 9 casos desta doença. Ela atinge aproximadamente 2 a 3% das crianças entre 5 e 18 anos de vida, tem fatores genéticos/hereditários envolvidos e não tem fator causal desencadeante específico.

Esta doença caracteriza-se pelo surgimento de tiques motores e verbais normalmente na infância podendo ou não desaparecer espontaneamente ao longo dos anos subsequentes. Os tiques verbais são menos comuns, mas aparecem em pelo menos um momento ao longo do acompanhamento e tratamento. Já os tiques motores são frequentes e atingem principalmente os membros superiores (mãos, antebraços, braços e ombros) e a cabeça. São comuns movimentos bruscos e repetitivos, caretas, imitações e mímicas faciais repetitivas. Observa-se frequentemente ainda o piscar de olhos constantes sem controle; ranger dos dentes; esfregar as mãos; batuque com pés e/ou mãos e vocalizações nasais e bucais (fungar e limpar a garganta). A coprolalia foi o termo dado ao uso de palavras obscenas e repetitivas por parte desses pacientes.

Esses tiques trazem grande preocupação ao paciente e seus familiares pois a escola e o meio social não está atualmente educado e preparado a lidar com esta situação. Torna-se comum na escola a ocorrência do bullying a essa criança e existe a necessidade imperiosa da escola promover trabalho de inclusão do aluno.

Frequentemente isto afeta o desempenho escolar e limita a capacidade de socialização. Além dos tiques podem ainda estarem presentes alterações comportamentais. Nota-se impulsividade, irritabilidade, inquietude e comportamentos agressivos e opositivos. A doença ainda está relacionada a ocorrência concomitante de outras patologias sendo as principais o Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC), o Déficit de Atenção e a Hiperatividade (TDAH), Depressão e Ansiedade.

Para o tratamento inicial buscamos a utilização de terapia cognitivo-comportamental. O uso de medicações fica indicado apenas para os casos de falha da primeira opção terapêutica e conforme a intensidade e sofrimento psíquico relacionado a presença dos sintomas. A ocorrência frequente dos tiques, inquietude e limitações ou disfunções na aprendizagem precisam servir de alerta aos pais para procurarem assistência médica especializada.

 

Dr. João Luiz da Fonseca Martins é psiquiatra e responsável técnico da clínica psiquiátrica UNIICA – Unidade Intermediária de Crise e Apoio à Vida

Compartilhe