Home/Artigos / Música e Saúde Mental

Música e Saúde Mental

17 de maio de 2016

18 fevereiro, 2016 às 14:53  |  por equipe do Blog Maluco Beleza

“Eu vou ficar… Ficar com certeza Maluco Beleza”!

A música integra a vida humana de tal maneira, que a maioria das pessoas possui trilha sonora específica para cada momento vivenciado: desde as músicas cantadas para bebês e crianças, passando por aquelas da adolescência (cantadas e gritadas com os amigos – quem nunca?), as músicas dos casais apaixonados, as músicas dos momentos de tristeza, as músicas das comemorações, da formatura, do casamento, das despedidas, dos reencontros, dos momentos de fé…

Infinitas são as emoções despertadas pelo universo sonoro-musical. Mas como nossa saúde mental pode beneficiar-se da música? Simples: ao cantar, expressamos conteúdos e emoções que nosso mundo interno às vezes nem consegue nomear. Aliviamos, esvaziamos, contemos e ressignificamos dores, angústias, medos, paixões e alegrias. A música integra o externo e o interno do humano.

Entregar-se ao cantar – mesmo que no chuveiro – ajuda a equilibrar as tensões da vida, ajuda a contar para nós mesmos nossas histórias mais significativas. E tudo isso é promover saúde, é fortalecer-se diante das dificuldades e permitir-se interagir com quem somos lá no fundo.

A prática clínica permite-nos observar que não raro, transtornos mentais (como depressão, entre outros) ao acometer uma pessoa, prejudicam também sua proximidade com a música. E as mesmas canções que antes eram fonte de prazer e de expressão, passam a irritar e a trazer emoções muitas vezes não suportáveis.

A retomada e a manutenção da saúde mental implicam, entre outras questões, na expressão, no prazer e na valorização da própria história. Cantar e ouvir música são ferramentas importantes neste trajeto, para lembrar quem se é.

Portanto, cantem suas canções preferidas! Permitam que elas acompanhem e sonorizem seus dias, suas lutas, suas vitórias e também suas derrotas. Afinal, quem canta seus males espanta!

Cintia Albuquerque é Musicoterapeuta da UNIICA – Unidade Intermediária de Crise e Apoio à Vida

Compartilhe