Home/Artigos / Internação de um Dependente Químico

Internação de um Dependente Químico

6 de abril de 2016

Dependência química: quanto tempo dura a internação do paciente?

A dependência química é uma doença, reconhecida pela Organização Mundial da Saúde, que afeta não só o usuário de drogas, mas também a família e ao meio em que convive. Essa é uma doença multifatorial. Por isso, vários aspectos devem ser observados na elaboração de um tratamento. O diagnóstico psicológico, baseado em conhecimento profundo do tema, é o primeiro passo. É importante também o acompanhamento biológico ou clínico para saber os prejuízos que o corpo sofreu com o uso dos químicos.

A internação do paciente é necessária quando há intoxicação aguda ou crônica e, consequentemente, ele já não tem condições de tomar decisões ou cuidar de si mesmo. Também são indicadas quando há dificuldade em ficar abstinente, há desgaste da família, que fica sem saber como ajudá-lo em casa, ou ainda em situações que coloquem em risco a segurança da pessoa e de quem estiver em volta, devido à falta da droga ou do envolvimento com o tráfico.

Veja situações que exigem a internação do dependente químico:

  • Risco de suicídio ou homicídio
  • Dificuldade de manter-se em abstinência durante o tratamento ambulatorial
  • Complicações de saúde, como problemas cardíacos
  • Crises de abstinência
  • Estados psicóticos
  • Risco de “overdoses” acidentais ou suicidas
  • Necessidade de ambiente estruturado para mudar o estilo de vida

O tempo da internação varia de caso a caso. O tratamento da dependência química é individual, já que ela pode ter origens diversas. Há internações de 15 ou 28 dias, 30, 45 e 60 dias e de até seis meses a um ano. Alguns fatores, como idade do paciente, tempo de uso, substância utilizada, quantidade e frequência e comprometimento físico e mental, podem determinar o tempo em tratamento.

A internação deve se restringir ao período de crise e ser o mais breve possível, evitando que a pessoa em tratamento se afaste do meio social. O apoio da família e dos amigos, somado a um grupo multidisciplinar capacitado, contribui muito para que os resultados da internação sejam eficientes.

Compartilhe