Home/Artigos / Ayahuasca

Ayahuasca

17 de maio de 2016

17 março, 2016 às 17:16  |  por equipe do Blog Maluco Beleza

Se popularizou nos últimos 10 anos o uso do chá advindo da união de duas plantas naturais da Amazônia (Chacrona e Cipó Caapi) chamada Ayahuasca. A mesma vem sendo utilizada durante rituais religiosos e tem aprovação no país para tal finalidade.

Foi identificado, com o uso do chá desta substância, seus poderes de geração de maior insight (autoconhecimento), promoção de maior estabilidade de humor (combate aos sintomas depressivos) e capacidade de promover redução da fissura relacionado ao uso de álcool e cocaína.

No último ano, o The New York Times publicou uma matéria expondo o uso da substância por muitos indivíduos americanos em busca de um sentido maior / explicações pra dilemas pessoais e existenciais. Desde então, seu uso se popularizou e cada vez mais indivíduos procuram os cultos religiosos relacionados ao uso desta substância.

Houve grande repercussão na mídia, na última semana, ao ser divulgada morte por afogamento do neto do Chico Anysio, Rian. Segundo seu pai, Nizo Neto, Rian foi levado, através de sua mãe, ao uso de tal substância há 2 anos. Rian, até então, não apresentava sinais de doença, mas, após o uso do chá, seu comportamento mudou. Nizo conta que seu filho apresentou quadro delirante associado a sintomatologia depressiva e que respondia apenas parcialmente ao tratamento medicamentoso.

O uso da Ayahuasca traz ao organismo efeitos físicos e psíquicos específicos. Quando a ingestão ocorre durante o ritual religioso, o indivíduo sente muito enjoo, apresenta vômitos e diarreia. Os Xamãs designam este efeito como lavagem interna / purificação do corpo e da alma. Durante este período, o indivíduo pode apresentar delírios e revivências de momentos passados levando a um maior conhecimento pessoal.

Na busca por estes rituais encontram-se pessoas que já realizaram diversos tratamentos para dependência química e desejam, na soma do poder espiritual com o uso do chá da planta, a “cura” de sua doença.

Existem ainda poucos estudos médicos sobre a substância e seu modo de ação. Sabe-se que ela pode desencadear exacerbação de sintomas psiquiátricos, não sendo indicado para um público que faz uso de medicação psicotrópica; que já apresentou sintomas psiquiátricos e/ou tem em sua família história de doença psíquica. O maior risco atual porém é a não regulamentação e fiscalização do uso da substância. Isto invariavelmente traz riscos / danos irreversíveis ao indivíduo suscetível a droga.

Hoje discute-se a real influência desta substância na morte do jovem Rian. Se ela está envolvida indiretamente nunca poderemos ter certeza, porém, fica evidente através da declaração de seu pai que houve uma péssima influência no cotidiano do menino que abandonou, após o uso do chá, os estudos, amigos, trabalho…. a vida!

 

João Luiz da Fonseca Martins é psiquiatra da UNIICA – Unidade Intermediária de Crise e Apoio à Vida

Compartilhe